A Usina

pecém

A Usina

O empreendimento está instalado no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP) e tem capacidade total de 720 megawatts, o que equivale à metade do parque gerador de energia do Ceará.

O objetivo da termelétrica Energia Pecém é atender ao crescimento da demanda por energia elétrica do Estado, da região Nordeste e do Sistema Interligado Nacional (SIN).

É uma das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do Governo Federal, que foi iniciada em julho de 2008 e entrou em operação comercial em 2012. Durante a obra, recebeu um investimento total de R\$ 3 bilhões e contou com o financiamento de R\$ 1,4 bilhão do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e R\$ 556 milhões do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Durante esse período foram gerou um total de cinco mil empregos diretos e onze postos de trabalho indiretos no desenvolvimento de novas tecnologias e negócios para a região. 

A Porto do Pecém Geração de Energia S/A, conhecida também por Pecém I, recebeu a autorização da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para iniciar a operação comercial de sua primeira unidade geradora, com capacidade instalada de 360 MW, em 1º de dezembro de 2012. Já a segunda unidade geradora começou a operar comercialmente no dia 10 de maio de 2013.

A usina termelétrica da Energia Pecém possui capacidade máxima de geração de energia na ordem de 5.500 gigawatts-hora, suficiente para abastecer uma cidade com aproximadamente 5,6 milhões de habitantes.  

A energia gerada pela usina é transferida ao sistema elétrico brasileiro por uma linha de transmissão que se conecta à Rede Básica por meio de uma subestação da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) a dois quilômetros de distância. A operação da usina termelétrica permitiu que o estado do Ceará aumentasse sua produção de energia em 90%, passando da posição de importador para exportador de energia.

Carvão Mineral

O carvão mineral, combustível utilizado, é importado da Colômbia. Depois do descarregamento no Porto do Pecém, o carvão mineral é levado por correia transportadora fechada, tipo tubular, com extensão de aproximadamente 12,5 km, desde o Porto até a Usina.

A correia opera com uma velocidade de quatro metros por segundo e com uma capacidade de transportar 2.400 toneladas de carvão mineral por hora.

Na usina, o carvão é armazenado em um pátio e recebe uma série de cuidados especiais, evitando a contaminação do lençol freático da região.

As pilhas de carvão são umedecidas através de um processo específico, com o propósito de evitar a dispersão de partículas no ar. Todo o piso ao longo da extensão do pátio foi preparado para captar as águas da chuva, evitando a infiltração do solo.​

Tecnologia

A Energia Pecém, empresa do Grupo EDP, foi concebida a partir de um projeto que prevê a minimização dos impactos ambientais, além do uso de alta tecnologia para tornar o processo mais limpo e eficiente.

Cerca de 30% de seu orçamento foi investido em equipamentos de controle ambiental, o que corresponde uma redução substancial das emissões de resíduos do processo de produção energética.

A usina é composta por duas caldeiras ou geradores de vapor, além de duas unidades turbo-geradoras – acionadas por turbinas, capazes de produzir 720 MW de energia elétrica.

O combustível utilizado é o carvão mineral, importado de países como Colômbia, Estados Unidos, China e Japão.

O transporte do carvão é feito através de uma correia transportadora, instalada do Porto do Pecém até a usina, com extensão aproximada de 12,5 km. A correia é totalmente fechada para impedir a dispersão do pó do carvão durante o percurso até a área de descarregamento na usina.​